Histórias bíblicas que 
talvez você desconheça
O Código do Rei Josafá

 Para entender a cronologia dos fatos, até o rei Josafá, é preciso contar que, até Saul, primeiro rei de Israel, o país era tribal, com cada uma das 12 tribos tendo seu líder e um juiz era o responsável por todos. Era a época dos juízes. Depois que o povo quis um rei, como as outras nações, Deus, mesmo desgostoso, lhes deu Saul, que foi uma lástima. Mas o Senhor já tinha em mente o seu ungido, que sucederia Saul: Davi, o maior rei de Israel e do mundo. Davi foi abençoado em seu reinado e conseguiu unir as 12 tribos, dantes separadas, em apenas um reino. E assim foi também com Salomão, filho de Davi. Mas depois deles, sucederam-se em Israel vários reis. Um fazia o que era reto perante Deus; outro não. Até que o Senhor resolveu dividir novamente o reino. Assim, das 12 tribos, 10 formavam o reino de Israel, e as outras duas, formavam o reino de Judá. Dessa forma, havia um rei em Israel e outro em Judá, onde também ficava Jerusalém. O rei Josafá, filho de Asa, como seu pai, também foi reto perante o Senhor.
  Josafá era rei de Judá e certo dia foi avisado que três exércitos se uniram e subiam contra ele. O rei então, juntamente com todo povo de Judá e Jerusalém, suas mulheres e filhos, se colocou de pé diante do pátio novo, na Casa do Senhor (o Templo em Jerusalém, construido por Salomão e que mais tarde seria destruido por Nabucodonosor). E o rei Josafá disse a Deus:
"Ah, Senhor, Deus de nossos pais, porventura não és tu Deus nos céus? Não és tu que dominas sobre todos os reinos dos povos? Na tua mão está a força e o poder, e não há quem te possa resistir. Porventura, ó nosso Deus, não lançaste fora os moradores desta terra de diante do teu povo de Israel e não a deste para sempre à posteridade de Abraão, teu amigo? Habitaram nela e nela edificaram um santuário ao teu nome, dizendo: se algum mal nos sobrevier, espada por castigo, peste ou fome, nós nos apresentaremos diante desta casa e diante de ti, pois o teu nome está nesta casa; e clamaremos a ti na nossa angústia, e tu nos ouvirás e livrarás. Agora pois, eis que os filhos de Amon e de Moabe e os do monte Seir, cujas terras não permitiste a Israel invadir, quando vinham da terra do Egito, mas deles se desviaram e não os destruíram, eis que nos dão o pago, vindo para lançar-nos fora da tua possessão, que nos deste em herança. Ah, nosso Deus, acaso, não executarás tu o teu julgamento contra eles? Porque em nós não há força para resistirmos a essa grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que fazer; porém os nossos olhos estão postos em ti".
  Acabando o rei Josafá de falar a Deus, o Espírito do Senhor veio no meio da congregação sobre Jaaziel, e disse: Dai ouvidos, todo Judá e vós, moradores de Jerusalém, e tu, ó rei Josafá, ao que vos diz o Senhor. Não temais, nem vos assusteis por causa dessa grande multidão, pois a peleja não é vossa, mas de Deus. Amanhã descereis contra eles; eis que sobem pela ladeira de Ziz; encontrá-los-eis no fim do vale, defronte do deserto de Jeruel. Neste encontro, não tereis de pelejar; tomai posição, ficai parados e vede o salvamento que o Senhor vos dará, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, porque o Senhor é convosco! 
  Na manhã seguinte, cantando e louvando ao Senhor, o rei Josafá e todo o povo sairam ao encontro dos inimigos. Quando chegaram a um alto, olharam para o deserto à frente e o que viram foi somente cadáveres. O anjo do Senhor havia destroçado os três exércitos que queriam atacar Judá! 


 
  Esta narrativa, que se encontra nas Sagradas Escrituras, no II livro das Crônicas dos reis de Israel, capítulo 20, me fascinou desde a primeira vez que a li. Depois de muito tempo fascinado por mais esta demonstração do poder e da ajuda do Altíssimo, começei a pensar no "código Josafá". Não é nada secreto. Tudo está às claras, como são as coisas de Deus. 
 Mas como o rei Josafá conseguiu tão rapidamente a resposta e ajuda do Senhor? Bem, ele sabia que, quando Salomão terminou o Templo e o dedicou a Deus, ele tinha feito a oração que Josafá cita, que quando algum mal sobreviesse ao povo de Deus, bastava olhar para o Templo e rogar a Deus, e o Senhor, lá do alto Céu ouviria e atenderia. Josafá acreditou nisso, e por isso "lembrou" ao Senhor parte da oração de Salomão.
  Na primeira parte da sua súplica, o rei destaca o poder de Deus e também sua ação, quando introduziu Israel na Terra Prometida, lembrando ao Senhor que Ele a dera por possessão eterna à descendência de Abraão. Na sequência, o rei lembra também ao Senhor que os três povos (amonitas, moabitas e os do vale de Seir), foram poupados por Israel, a mando do Senhor, e que agora eles estavam retornando o bem com o mal, intentando atacar Judá. 
 Então, após louvar ao Senhor, trazer à sua memória acontecimentos passados e especificar o que estava ocorrendo, o rei Josafá pede o juízo do Senhor sobre aqueles povos e declara a fraqueza de Judá diante deles e que não sabiam que atitude tomar, e encerra sua petição dizendo ao Senhor que os olhos de Judá, de Jerusalém e do próprio Josafá, estavam postos em Deus, ou seja, que eles esperavam socorro de Deus. E, como vimos, o socorro veio imediatamente!
  Então, vamos enumerar o "Código Josafá", que é a maneira correta de buscar a Deus numa aflição, para ficar melhor compreensível: 01 - Glorificar a Deus - 02 - Lembrá-lo de suas promessas (elas nunca falham!) - 03 - Contar o problema para o Senhor - 04 - Com humildade, dizer ao Senhor que não temos força para agir e nem sabemos como - 05 - Enfatizar que nossos olhos estão postos no Senhor, que confiamos Nele e que Dele esperamos o socorro.

 

GRANDES MATÉRIAS
MUNDO SERTANEJO
NOSSOS HERÓIS
REVOLUCIONÁRIOS
ARTIGOS E CRÔNICAS
ESPECIAIS
HOME PAGE
 
 
 
 
 
 

 

 Sergio Ferraz - Todos os direitos reservados